Os Herdeiros do Bairro – Prémios Internacionais

 

Os herdeiros do bairro premios 743

Impact Docs Awards

O documentário “Os Herdeiros do Bairro”, da nossa Help Images, conquistou os prestigiosos Prémio de Excelência e Prémio de Mérito do Impact DOCS Awards de 2020, competição que faz parte do Global Film Awards (GFA) americano.

Os prémios foram atribuídos ao nosso documentário  “Os Herdeiros do Bairro”, um olhar tocante sobre os habitantes do Bairro 6 de Maio* – bairro que está a ser demolido e a sua comunidade de emigrantes cabo-verdianos a ser desalojada há várias décadas. Como escreveu o júri “ Suportado em testemunhos na primeira pessoa, “Os Herdeiros do Bairro” apresenta uma narrativa habilmente elaborada e entrevistas potentes com foco em verdades fundamentais e valores partilhados por todos os humanos.”

Na Help estamos muito contentes com este reconhecimento publico porque acreditamos que esta será uma oportunidade relevante a nível nacional e internacional para dar a conhecer o nosso documentário “Os Herdeiros do Bairro” e as histórias dos seus protagonistas. Este foi sempre o objetivo principal deste trabalho e a promessa que fizemos a todos os que nos ajudaram a produzir este filme.  

O Impact DOCS Awards reconhece profissionais de cinema, televisão, vídeo e novos media que demonstram trabalho excecional, competência e criatividade, e que produzem entretenimento de qualidade ou contribuem para mudanças sociais profundas. Na edição de 2020 estiveram a concurso documentários provenientes de 30 países.

IMPACT AWARDS Poster

Ao ganhar um prémio Impact DOCS, a Help Images junta-se a outros vencedores de alto gabarito deste prémio internacionalmente reconhecido, incluindo o fotografo e realizador vencedor do Oscar Louie Psihoyos pelo seu Best of Show 2016 – Racing Extinction, o vencedor do Oscar Yael Melamede por (Dis) Honesty – The Truth About Lies e o vencedor do Emmy, Gerald Rafshoon, por Endless Corridors narrado pelo vencedor de um Oscar Jeremy Irons e muitos mais.

Nas palavras de Rick Prickett, que preside ao Impact DOCS Awards “O júri e eu ficámos simplesmente maravilhados com a variedade e a importância dos documentários que visionámos. O Impact DOCS não é um prémio fácil de ganhar. Recebemos inscrições de todo o mundo, de grandes produtoras e novos talentos notáveis”.

O documentário “Os Herdeiros do Bairro” – “The Heirs” também já foi reconhecido noutros festivais, internacionais, nomeadamente no “Tempus” e no “Cathalsis” onde foi Semifinalista e nos Festivais “Cine Fern” e “Lime Light Film Contest, em que fez parte da Seleção Oficial.

 

Para ver este documentário na integra e obter outras informações siga este Link : Os Herdeiros do Bairro – Documentário

Pode descarregar o Press_Kit aqui:“Os_Herdeiros_do_Bairro_pt”

Notícia na RTPEXTRA “Documentário “Herdeiros do Bairro” vence prémios Internacionais

Noticias publicadas:

NOTICIAS_HERDEIROSdoBAIRRO

A Nação – https://anacao.cv/2021/02/13/documentario-sobre-a-comunidade-cabo-verdiana-do-bairro-6-maio-na-amadora-ganha-premios-internacionais/

Antena 1 “Há conversa” – https://www.rtp.pt/play/p855/e529834/jose-candeias-ha-conversa

Bantumen – https://www.bantumen.com/2021/02/17/documentario-bairro-6-de-maio/

Centro Social 6 de Maio – https://www.cs6maio.pt

CM Jornal – https://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/20210215-1404-documentario-sobre-o-bairro-6-de-maio-galardoado-em-festival-de-cinema-norte-americano

Notícias ao Minuto – https://www.noticiasaominuto.com/cultura/1690117/documentario-sobre-bairro-6-de-maio-premiado-em-festival-norte-americano

DESTAK – http://www.destak.pt/artigo/467502

Expresso das Ilhas – https://expressodasilhas.cv/cultura/2021/03/04/documentario-os-herdeiros-do-bairro-conquista-premios-internacionais/73689

H-Net – https://networks.h-net.org/node/7926/discussions/7289439/ann-documentário-sobre-antigo-bairro-cabo-verdiano-na-grande

Ineews – https://ineews.eu/documentary-os-herdeiros-do-bairro-awarded-in-american-festival/

Inforpress – https://inforpress.cv/documentario-os-herdeiros-do-bairro-vence-premio-de-merito-do-impact-docs-awars-2020/

JN – https://www.jn.pt/artes/sejamos-vaidosos-sejamos-laconicos-13350530.html

RTC – https://www.rtc.cv/tcv/video-details?id=17782

RTP África Rumos – https://www.rtp.pt/play/p8263/rumos

RTP Notícias – https://www.rtp.pt/noticias/cultura/documentario-sobre-o-bairro-6-de-maio-galardoado-em-festival-de-cinema-norte-americano_n1297625

RTP Extra – https://media.rtp.pt/extra/noticias/os-herdeiros-do-bairro-documentario-da-rtp-africa-vence-premio-internacional/

SIC Notícias – https://sicnoticias.pt/cultura/2021-02-15-Documentario-sobre-bairro-da-Amadora-galardoado-em-festival-de-cinema-norte-americano

TSF – https://www.tsf.pt/portugal/cultura/documentario-sobre-o-bairro-6-de-maio-galardoado-em-festival-norte-americano-13354197.html

TVI24 – https://tvi24.iol.pt/cinema/premio/documentario-sobre-o-bairro-6-de-maio-galardoado-nos-eua

“MONAPO 20 ANOS DEPOIS”

Documentário, produzido pela Help Images, que apresenta o trabalho desenvolvido pela ADPM em Monapo, uma pequena vila na província de Nampula, norte de Moçambique. Em Monapo, 20 anos depois, é possível ver como o trabalho desenvolvido durante duas décadas mudou a face daquele território a vários níveis, não só na formação, capacitação e no associativismo, mas também na saúde, agricultura, nutrição, entre outros. 

Pela voz das pessoas de Monapo (técnicos, agricultores, membros de associações locais, bem como do cidadão comum) e da Cooperação Portuguesa em Moçambique, é possível ficar a conhecer um trabalho que mudou, de forma objetiva, a vida dos habitantes daquela região. Fruto de uma parceria estreita com asociações locais, foi possível alcançar marcos importantes.

Documentário “Os Herdeiros do Bairro”

“OS HERDEIROS DO BAIRRO”

 Documentário sobre a população que habitou o Bairro 6 de Maio ao longo de mais de cinco décadas

 

O documentário dispõe de legendagem opcional (selecione no botão cc do player ) em Português, Francês, Inglês e Espanhol

Entramos hoje no Bairro 6 de Maio e temos dificuldade em chamar-lhe bairro. Poucos edifícios ainda são habitados, e o que resta da maioria das casas do Bairro são algumas paredes coloridas e chão de entulho.

As histórias do Bairro são o legado deste lugar onde chegaram a habitar 1200 famílias. As vidas destas pessoas são a prova que o Bairro continua a existir mesmo depois de demolirem a última casa. O futuro de cada um dos habitantes do bairro não acaba porque o Bairro amanhã dará lugar a outra coisa: um centro comercial, um condomínio fechado ou uma fábrica.

Este Documentário guarda as memorias do espaço e das pessoas numa relação antagónica de olhares: nós que estamos a chegar e que vemos quase tudo destruído e aqueles que vieram de lá e que veem tudo o que a memoria teima em não querer esquecer. A beleza desta relação é o ponto de partida deste documento social que tem uma estética e uma plástica urbana, humanista e provocadora. Este não é mais um documentário sobre um bairro clandestino à porta de uma grande cidade.

Para quem nasceu e viveu no Bairro, ele ainda está de pé. A memória destas pessoas é repleta de casas com gente, cozinhas com panelas ao lume e quartos onde ainda dormem crianças. Esta memória não vai morrer, mesmo quando já não houver uma casa de pé.

Porque haverá sempre alguém que vai dizer:

– No Bairro fazia-se assim…

– Lembras-te no Bairro quando brincávamos juntos!

– No Bairro era diferente, todos se conheciam.

Há pessoas que, não nascendo no Bairro, ajudaram-no a ter uma identidade, são do Bairro e fazem parte da sua vida. As Irmãs Dominicanas do Rosário chegaram ao Bairro em 1976 com a missão de prestar apoio às famílias, maioritariamente africanas, que ai residem desde essa altura.  Hoje são dos últimos moradores a permanecer ainda no Bairro. A Irmã Deolinda sabe onde era a casa da sua amiga Faustina mesmo depois da casa já não existir. Sabe que a Belinha pediu ao pai para pintar o quarto de cor de rosa quando fez 15 anos. Lembra-se bem desse dia. Agora passa junto à única parede que resta do quarto da Belinha e fala dos filhos que ela já tem e de como são a cara da mãe…

A Irmã Deolinda é uma das nossas anfitriãs que nos conta as histórias das paredes que ainda restam e dos espaços vazios que cada vez são em maior número. Já houve tempos, começa ela por nos contar, em que não se conseguia abrir um chapéu de chuva nestas ruas, porque as casas eram demasiado juntas umas às outras, um labirinto!

Para além da Irmã Deolinda convidámos outros moradores do Bairro a, também eles, nos levarem numa viagem pessoal pelos diferentes espaços do Bairro e assim temos várias viagens destintas que se irão complementando ao longo do documentário.

São depoimentos de moradores tão carismáticos como o Sr. Estevão, o primeiro morador do Bairro. Oriundo de Cabo Verde, chegou a Portugal no final de 1972, vindo diretamente das roças de São Tomé, para trabalhar na construção civil. No inicio de 1974 constrói a primeira “barraca” do que viria a ser o Bairro 6 de Maio.

Com uma historia diferente, a Dona Faustina vem de Cabo Verde com 16 trabalhar para Roma onde fica apenas uns meses. De visita a familiares em Portugal conhece o pai dos seus três filhos. Decide ficar e constroem juntos uma pequena barraca em 1976. Mais tarde a família aumenta e a barraca dá lugar a uma casinha de tijolo mais confortável. Foi nessa casa que criou os filhos e onde teve a felicidade de organizar muitos jantares de Natal para os netos.

Também falámos com a Belinha, que é enfermeira, a Elsa e o Paulo que são sociólogos, o Carlos que trabalha num Hotel e o Paulo é técnico nos CTT, todos jovens adultos nascidos e criados no Bairro e que, mesmo já não vivendo no Bairro, fazem questão de partilhar as suas experiências e o quanto foram felizes juntos.

Através das historias do Bairro e da generosa partilha de todos aqueles que se disponibilizaram a participar neste documentário, ficamos a conhecer a identidade desta comunidade maioritariamente cabo-verdiana. Percebemos que, para lá de uma língua que não compreendemos e de uma cultura que por vezes nos intriga, há a vivencia diária das famílias, com as suas preocupações e sonhos, que afinal são os mesmos de todos nós. Esta proximidade na essência ajuda-nos a quebrar barreiras de estereótipos, de preconceitos e de medos. Este documentário tem como objetivo principal preservar o legado desta comunidade que habitou este Bairro da periferia de Lisboa e, como objetivo maior, demonstrar que partilhamos valores fundamentais de humanidade e um país que todos sentimos como nosso. A sensibilização para a descoberta e aceitação das diferentes minorias que fazem cada vez mais parte do tecido social das grandes cidades nacionais e internacionais é a missão deste documentário, missão essa que é partilhada pela Help Images e pelo Centro Social 6 de Maio.

  • Guião: Raquel Martins
  • Realização: Ricardo Nogueira e Raquel Martins
  • Produção: Raquel Martins 
  • Assistente de Produção: Mafalda Martins
  • Direção de Fotografia: Ricardo Nogueira
  • Assistente de Câmara: Liliana Tábuas
  • Engenheiro de Som: Paulo Cerveira
  • Chefe Eletricista: Vítor Rodrigues
  • Assistentes: Adriano Siruteu, Tomás Martins, Vasco Fernandes
  • Edição e Correção de Cor : Ricardo Nogueira
  • Conceção Gráfica: Diogo Chaveiro, Mafalda Martins, Raquel Martins
  • Motion Graphics: Diogo Chaveiro
  • Sonoplastia: André Duarte
  • Locutor: Tó Semedo
  • Fotografias: Rosa Reis
  • Tradução Inglês: Raquel Martins e Sofia Rosado
  • Tradução Francês: Fátima Seabra e Teresa Leal
  • Tradução Espanhol: Kattia Hernandez e Irmã Ruana
  • Musica Original:Solitude, Whimsical, Speculative, Rima Banya, Alternative facts e Passe Compose por David Hilowitz, “Choro” Lura – interprete e música original “Terra’L” Lura – interprete e Michel Montrond música original